Quem faz

 

Somos um grupo de eternos inquietos. Em nossa experiência coletiva, você vai encontrar quem já foi professor, vendedor, consultor de grande empresa, dono de empresa. Quem vem de outros países, quem já estudou em outros países, quem teve um monte de filhos, largou tudo e foi ser feliz.

São jornadas muito diferentes, mas que têm em comum uma busca por estar cada vez mais em contato com nossa essência.

Por isso, empreendemos, desenvolvemos metodologias, reunimos uma montanha de conhecimento e transformamos tudo isso em atividades que façam sentido para a gente e para quem estiver conosco nessa jornada, que foi construída para ter, acima de tudo propósito.

Queremos, com isso, evoluir individualmente e como grupo. Nos conectamos em treze corações e mentes porque acreditamos que a força de um coletivo faz a diferença.

Mas, agora, queremos levar essa conexão além, formando uma comunidade em torno dos valores que compõem essa jornada e que você acaba de conhecer: inquietação, essência, propósito, evolução e conexão.


Antonio Barros#mindfulness

Nos últimos 7 anos ajudei a desenvolver a área comercial de uma empresa de treinamento de líderes. Tive a oportunidade de conversar e acompanhar o desenvolvimento de centenas de  empreendedores e gestores das mais diversas áreas, me deparando com a seguinte inquietação: Por que as mesmas ferramentas são efetivas para alguns e para outros não?

O que aprendi, por experiência própria, é que a qualidade do resultado do sistema depende da qualidade da consciência de quem atua nele. Para mim, a autenticidade está em nossa consciência plena e minha intenção na Jornada será facilitar o seu acesso a ela.

 

Bruno Boesche #propósito

“Fundei a Cohoo em busca da minha própria verdade, e acabei descobrindo a vocação para encontrar e dar sentido às verdades por trás das organizações. A autenticidade, para mim, é o que temos de mais poderoso para realizar nosso papel no mundo, e nessa Jornada vou levar a você uma visão sobre o Propósito Pleno, a razão que move empresas na direção não só da própria evolução e prosperidade, mas também de todo o universo ao seu redor.”

 

Florentine Versteg-Vedana #facilitaçãodeaprendizagem

Nasci na Holanda mas escolhi o Brasil como lar desde 2009. Desde jovem busco criar ambientes acolhedores e verdadeiros para que pessoas de diferentes culturas possam se encontrar, se (re)conhecer e se desenvolver. Me considero uma empreendedora social e facilitadora. Ajudei a fundar a HubEscola durante os três anos em que liderei projetos no Impact Hub São Paulo. Na busca da minha própria autenticidade, co-fundei a Manifesto 55 no final do ano passado para criar experiências transformadoras e conectar pessoas e ideias inspiradoras do mundo inteiro.

 

Henrique Vedana #gestãohorizontal

Me considero um cidadão global, tendo viajado por mais de 40 países e morado em diversos continentes. minha curiosa busca pela verdade me levou até a Kaospilot, renomada escola alternativa em liderança e criatividade, localizada na Dinamarca. Depois de voltar ao Brasil e liderar processos de colaboração, diálogo, cocriação e inovação organizacional por mais de 5 anos, empreendo no Manifesto 55 minhas ideias sobre educação protagonista, novos modelos organizacionais e transformação social.

 

Karoline Fendel #bioarticulação

Vivenciei durante o curso de Ciência Biológicas e o contato com a Permacultura a relação direta entre nossa natureza interna e externa. Percebi na biodiversidade e na própria dinâmica florestal um exemplo organizacional inspirador e autêntico do papel de cada elemento naquele complexo cenário. Trabalhei em organizações que visam a sustentabilidade e carregam valores éticos e práticas sustentáveis. Neste intuito de sustentar e alinhar o interno e externo, nasce a Mútua que empodera pessoas e seus projetos.  Autenticidade é para mim coerência e no mundo de hoje precisamos estar alinhados com a necessidades do nosso planeta e trabalhar juntos em prol de um futuro sustentável.

Larissa Berlato #design

Leonardo Mendonça #psicologia

Na minha jornada, tanto nos encontros e experimentações dos contextos que me lancei, quanto pelo estudo e a atendimento a famílias e indivíduos na prática de psicologo, fui percebendo o potencial de transformação do encontro e da força propulsora dos afetos no empoderamento das pessoas e coletivos. Na expressão e concretização dessa percepção manifesta-se a Mútua como uma facilitadora desse empoderamento interno para a expressão e potencialização em projetos pessoais e profissionais. Penso a autenticidade como o alinhamento do sentir, pensar e agir individual e coletivamente.

 

Lucio Herrera #teatro

Em minha caminhada pelo Teatro como ator e na Educação pela Arte como professor, formando atores e não atores, o esforço para conquistar a autenticidade foi sempre uma obsessão. O desafio de não ficar detrás de máscaras nem estereótipos é uma premissa fundamental no meu trabalho em Universidades públicas e privadas na Argentina, no México e agora no Brasil. A Pós Graduação em Pedagogia da Cooperação   acrescentou mais ferramentas e reforçou meu olhar sobre o mundo respeitoso e comprometido.

 Meu propósito é caminhar  junto aos participantes da Jornada no desenvolvimento de sua presença aqui e agora, acreditando que a autenticidade é construída com base nahistória  pessoal que faz  cada um único e precioso frente ao mundo.

 

Marcio Cabral #comunicação

“Vi o mundo pela janela da AIESEC, uma associação internacional de estudantes que promovem intercâmbio. Me qualifiquei profissionalmente como publicitário, atuando principalmente como executivo de contas em agências de propaganda representativas de Porto Alegre e Florianópolis. Com vontade de empreender, vivi a experiência da área comercial, representando uma das principais gráficas do sul do país. Isso tudo me preparou para fazer parte de um modelo de negócio, na Cohoo, que tem me ensinado dia após dia o poder da autenticidade, através do que construímos com nossos clientes. Feliz por reunir as feras desta Jornada, amplio o convite a você para vivê-la e transformar a si mesmo e seu negócio.”

 

Olavo Pereira Oliveira #narrativa  

Minha relação com autenticidade tem muito a ver com minha busca profissional. Trabalhei por 15 anos acreditando que fazer comunicação para as empresas era melhorar sua estética, o que nem sempre vem acompanhado de ética. Aos poucos, fui caminhando na direção de desenvolver um olhar mais sensível, que trabalha para enxergar as coisas como são e não como queiram parecer ser. Hoje, isso significa para mim a construção de narrativas empáticas e, acima de tudo, verdadeiras.

Teresa Pesenti #expressividade

Ao longo de 33 anos de atuação profissional como fonoaudióloga, compreendi que através do binômio voz e fala, cria-se um corpo sonoro que pode tocar, aproximar, unir as pessoas ou, por outro lado, pode agredir, afastar e criar barreiras, provocando cisão em relações de qualquer natureza.  Entendo autenticidade como o ressoar íntimo do coração que conecta as pessoas provocando encontros genuínos. Minha intenção nesta jornada é facilitar o processo para se chegar a uma emissão clara e eficiente da voz e da fala que aproxime as pessoas e gere resultado de valor para as empresas.     

 

Tiago Vilas Boas #empreendedorismo

Victoria Perin #inovação